DE TERÇA À SEXTA-FEIRA
Missas às 6:00H e 17:00H
AOS SÁBADOS
Missas às 17:00H  e 19:00H
AOS DOMINGOS
Missas às 7:00H, 9:00H, 17:00H 18:30H  e 20:00H
DIA 16 DE CADA MÊS
Missa do padroeiro às 17:00H
DIA 13 DE CADA MÊS
Missa às 12:00H
Você já ouviu falar sobre a Campanha da Fraternidade:
SIM
NÃO
08/01/2012  |  A obra de Deus

veja mais audios





 

Igreja em reforma para melhor acolhimento

 

Em primeiro lugar, queremos agradecer a colaboração de todos os paroquianos que, através de suas generosas ofertas, estão contribuindo para a reforma de nossa Igreja Matriz. Já foram instalados portas de vidros nas laterais, basculantes, vitrôs e a parte externa já se encontra quase concluída. Brevemente iniciaremos a infra estrutura elétrica, pois o projeto encontra-se em fase de conclusão. Precisamos ainda da colaboração de todos os paroquianos. Diversas promoções já foram feitas. Outras virão. Rifas, bingos, jantar dançante, todos empenhados na realização do mesmo sonho.

 

Conselho Econômico



Campanha da Fraternidade

Oração

 

Ó Deus, sempre ouvis o clamor do vosso povo e vos compadeceis dos oprimidos e escravizados. Fazei que experimentem a libertação da cruz e a ressurreição de Jesus. Nós vos pedimos pelos que sofrem o flagelo do tráfico humano.

Convertei-nos pela força do vosso Espírito, e tornai-nos sensíveis às dores destes nossos irmãos. Comprometidos na superação deste mal, vivamos como vossos filhos e filhas, na liberdade e na paz.

Por Cristo nosso Senhor. Amém!




 
 
 

Deus vem para alegria dos pobres

O Deus que vem quer ser "pobre"; contesta as imagens que espontaneamente dele fazemos, e vem ao nosso encontro numa dimensão incomum para uma religião. Mas esse Deus "diferente" despertará muito mais a fé daqueles que procuram uma religião autêntica. Toda uma linha profética havia apresentado aos israelitas o Messias segundo as categorias do poder, da vitória, do domínio universal; isso, aliás, correspondia à experiência do Êxodo, que permanece o ponto de referência necessário para o Deus da aliança. Mas sobretudo com o exílio, que favorece a reflexão sobre a aliança e sua interiorização, o Deus de Israel e Aquele que ele consagra para a missão de salvador do povo são encarados sob uma luz nova, mais espiritual (mais simbólica também); e do mesmo modo é encarada a missão e seus destinatários (1ª leitura) 


Os privilegiados do Reino

"Os pobres" são mais disponíveis para o alegre anúncio da salvação: os que não se apoiam em sua suficiência pessoal ou na segurança material, que estão atentos, à escuta da palavra de Deus e capazes de uma fidelidade simples e firme à sua lei.

Certamente há o perigo de poetizar a sorte dos infelizes (enquanto nós estamos bem) e nada fazer para mudar a situação das populações urbanas ou rurais indigentes; seria cômodo limitar-se a falar da alegria messiânica a propósito das massas que penam para ganhar o pão de cada dia, enquanto Cristo teve entranhas de compaixão, curando suas enfermidades e multiplicando para eles o pão. Na realidade, para esses irmãos mais pobres a esperança messiânica se concretizará na presença fraterna de quem estende a mão para socorrer a extrema necessidade e, mais do que isso, partilhar sua sorte, tornando digno de crédito e perceptível o anúncio de um mundo melhor. Mas só com isso não se satisfaz a expectativa.

O precursor do anúncio de alegria aos pobres define-se a si mesmo "voz que clama"; ele não é "a luz". Quer "dar testemunho da luz" (evangelho). O verdadeiro portador da "Boa-nova" - o Cristo - já está no meio dos seus, mas "esses não o conhecem"; ele é a "Palavra", é a "Luz" e não é ouvido nem visto.

Está no meio de nós e nós corremos o risco de não o reconhecer se nos limitamos a ver nele o herói de um messianismo humano, o teórico de uma fraternidade ou de uma felicidade terrena, o taumaturgo extraordinário. O segredo da personalidade do Homem-Deus revela uma atenção especial aos pobres e humildes que tem fé e se abandonam a Deus, e ressalta que a chegada do "dia do Senhor" trará consigo a viravolta das estruturas humanas.

Testemunhas da alegria de Cristo

A intervenção de Jesus na história gera em torno de si uma atmosfera de entusiasmo e alegria; Jesus é o iniciador definitivo dessa alegria que vem do alto e é dom do Pai: "Nisto consiste o amor: não fomos nós que amamos a Deus, mas ele quem nos amou" (1Jo 4,10). O "Magnificat" da Virgem Maria exprime maravilhosamente a tonalidade fundamental da alegria cristã (salmo de meditação). Mas importa não se enganar: a ação de graças não é a atitude passiva de alguém que apenas reconhece que tudo lhe vem do alto; é a alegria do colaborador que descobre ser chamado a contribuir para a edificação do mundo. O cristão sabe que vive na terra uma existência igual à de qualquer outro homem, mas que tem uma certeza da salvação e um sentido da história que lhe permitem reconhecer em todos os acontecimentos o Reino que vem. Isso lhe proporciona uma alegria profunda, que ele testemunha não fugindo da própria condição, mas considerando-a como uma etapa da vinda do Senhor. Torna-se assim o sinal real dessa vinda.

Enviou-me para trazer o Alegre Anúncio

Que significa para nós, para nossa comunidade, esta frase?

O cristão, unido ao Pai pelo sacrifício eucarístico da cruz, está convencido de que sua mansidão e bondade manifestam a presença do Senhor no mundo; renuncia, por isso, a dar testemunho de Deus no poder e no triunfalismo das instituições.

Convém cuidar também que a celebração eucarística não desperte à alegria simplesmente humana de um encontro entre homens que já são irmãos por afinidade de raça, de ambiente social ou de interesses comuns. Não podemos limitar-nos a isso; importa abrir as nossas comunidades eucarísticas à riqueza da diversidade humana. A alegria será então talvez menos espontânea, mas muito mais verdadeira.

Fonte: Missal Dominical/Paulus

Fique com Deus e sob a proteção da Sagrada Família
Ricardo Feitosa e Marta Lúcia  
Crendo e ensinando o que crê e ensina a Santa Igreja Católica


 


15/12/2014
Amor de Deus - Ricardo Feitosa
Ampliar vídeo


 


COMUNIDADES

 

N.Sra das Graças

N.Sra. Perpétuo Socorro

Padre Anchieta

Santa Elizabeth

Santana

São Francisco

São Paulo

 

CONGREGAÇÕES

 

Filhas de Santana

Santa Elizabeth

 

MOVIMENTOS

 

Aliança de Paz

Apostolado da Oração

Legião de Maria 

Mesc

Poço de Jacó 

Shalom

Terço dos Homens

Vicentinos

 

PASTORAIS

 

Aconselhamento e Oração

Batismo

Catequese

Comunicação

Conselho Pastoral Paroquial

Crisma 

Dizimo

Familiar

Juventude

Liturgia

Menor  

Vocacional

 

SERVIÇOS

 

Encontro de Casais com Cristo

Encontro de Jovens com Cristo

 
 


Oração da Semana


O poder da oração

 

Durante a nossa caminhada terrena, vamos nos deparar com diversas situações difíceis, algumas nos tirarão do eixo, nos jogarão no chão, e com certeza trarão a sensação de que estamos sós e abandonados. É nessa hora que muitos dirão para você: “onde está o teu Deus?”, “será que ele se esqueceu de você?”, ou “será que Ele não é tão poderoso como dizem?”.

 

Santo(a), não permita que os agentes do inimigo venham abalar sua fé. O próprio Jesus nos prometeu: “Eis que estarei convosco todos os dias, até o fim dos tempos” (Mt 28,20). Por mais que a situação na qual nos encontramos seja perturbadora, por mais que nos achemos impotentes – e nós somos – devemos sempre lembrar “que para Deus nada é impossível” (Lc 1,37), não temos o direito de jogar a toalha, lembre-se que Jesus não se deixou abater, e por isso Ele foi glorificado.

 

“Peçam e lhes será dado! Procurem e encontrarão! Batam e abrirão a porta para vocês! Pois, todo aquele que pede, recebe; quem procura, acha; e a quem bate, a porta será aberta. (Lc 11,9-0) Não podemos perder a fé, pois a Palavra de Deus é verdadeira e Ele nos dá a garantia de que, “tudo o que for pedido com fé em oração, será atendido”. (Mt 21,22)

 

Diante desta certeza vamos nos unir em oração, não desanime! A sua dor é a minha dor, pois somos irmãos e irmãs em Cristo. Tenha fé, não desista de Deus, pois Ele não desiste de você.

 

Por mais atribulado que esteja o seu dia nunca se esqueça de se colocar na presença de Deus. Primeiro com a Oração do Espírito Santo, pedindo para que venha trazer a paz e a sabedoria. Em seguida a Oração do Pai-nosso, para que o Criador, Aquele que tudo vê, possa ser verdadeiramente o Deus de sua vida.  A Ave-Maria, pois é nela que nos colocamos sob a intercessão da Sagrada Família. E finalmente a leitura da Palavra de Deus, pois é o alimento da alma, é através dela que Deus nos dá o direcionamento.

 

Fique com Deus e sob a proteção da Sagrada Família

Ricardo Feitosa e Marta Lúcia

www.catolicoscomjesus.com - catolicoscomjesus@gmail.com
 

 
 

1
2
3
4
5
1
2
3
4
5
1
2
3
4
5
6
Paróquia de São Gerardo Majella - Arquidiocese de Fortaleza
Av. Bezerra Menezes, 1256 - São Gerardo - Fortaleza - Ceará  |  CEP 60325-001
Telefone: (85) 3223-3971 | E-mail: faleconosco@paroquiasaogerardo.org.br